15 de mar de 2009

14 de março dia de poesia

cultura


por: Lira Dutra
Não poderia deixar de teclar algumas palavras, primeiro precisava atualizar o blogue, segundo para não passar batido o Dia Nacional da Poesia. Sei que a poesia não tem dia certo para bater na caixola, porém a homenagem é válida.

Em homenagem ao poeta brasileiro Castro Alves (1847-1871), no dia 14 de março se comemora o Dia Nacional da poesia. Data do nascimento do poeta que ficou conhecido como o “poeta dos escravos”, por lutar pela abolição da escravidão.

Granja tem veia poética, o nome mais lembrado é sem dúvida Lívio Barreto, mas nos dias atuais destacamos os poetas Pedro Magalhães e padre Osvaldo Chaves. Na ala feminina temos a jovem Daniele Sampaio, autora do livro Lucidez e Loucura.

Escrever poesia ou treco análogo é muito mais que gostoso. É um transe. Uma transa ora doida, ora inocente, que lança a alma despregada do corpo contra as paredes da existência e preenche a magreza dos ossos com novo tutano vital. As vezes escrever poesia é tudo isso, as vezes não.

Ah, como eu queria escrever poesia por entre as inquietudes matemáticas do relógio.

*publicado no blogue Lira Duta

Um comentário:

  1. Carlos Lagomarço 15, 2009

    a muito gosto em dizer que poesia é minha vida.
    é muito bom saber que poesia conta história.
    mas é muito bom saber que somos ouvidos.
    Granja, sabereis um dia que a sua história
    é poesia contada por filhos ingratos.
    filhos que te surram e maltratam.
    filhos que cegam os olhos tua beleza.
    filho que te exploram como uma prostituta
    na esquina do prostibulo.
    filhos que te apedrejam pelos pecados
    cometidos por eles próprios.
    e mesmo assim explorada
    e na marginal da vida digna
    tu olha e ver.
    ver o que?

    ResponderExcluir

Olá!
Agradeço pelo comentário.
Sua participações é importante para nosso trabalho Granja Ceará.
Obrigado!

*Comentários anônimos poderão ser recusados/excluídos. Por isso use sempre nome e e-mail válido para comentar.

Não faça comentários de cunho preconceituoso, respeite os Direitos Humanos.