Lei do ato médico

O senador Tasso Jereissati pediu ao senador Demóstenes Torres (DEM-GO), presidente Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, do Senado Federal, urgência na votação do Projeto de Lei nº 7.703 - B de 2006, que dispõe sobre o exercício da medicina, o chamado Ato Médico. Ele prometeu falar também com o senador Valadares, relator do projeto, para colocá-lo em pauta o mais rápido possível.

Os médicos cearenses estão conversando com os senadores, pedindo apoio na agilização do processo de votação da Lei do Ato Médico. Eles já estiveram com os senadores Inácio Arruda e Patrícia Sabóia, que já declaram apoio ao projeto. "Nós tememos que pedidos de audiências públicas e que o período de eleições possam conturbar e adiar essa votação", explicou Tarcísio Dias.

Participaram do encontro com o senador Tasso Jereissati o vice-presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, Edílson Melo, o vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Ceará, Lúcio Flávio, o diretor do CREMEC, Silvio Leal, o representando a Federação Nacional dos Médicos e diretor do SIMEC, Tarcísio Dias, e o presidente da Associação Médica do Cearense, Florentino Cardoso.

O Projeto de Lei que trata do exercício da medicina está na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e o relator é o senador Valadares. Em seguida, ele segue para a Comissão de Assuntos Sociais e somente depois vai para o plenário.

*extraido de: http://www.simec.med.br/s_noticias.asp?id=610

Comentários

  1. é querem criar o monopólio da saúde no pais, como se os demais profissionais da área da saude não tivesem valor, tendo que ficarem como méros empregados dos médicos. que só pensam no seu estatos e dinheiro e que a saúde pública va para o ralo.....

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá!
Agradeço pelo comentário.
Sua participações é importante para nosso trabalho Granja Ceará.
Obrigado!

*Comentários anônimos poderão ser recusados/excluídos. Por isso use sempre nome e e-mail válido para comentar.

Não faça comentários de cunho preconceituoso, respeite os Direitos Humanos.

Mais acessadas