Patrimônio ameaçado: Canoas da Maré

É comum aos granjenses o banho na maré para tirar o caé, como diz minha avó. Lá  podemos admirar o balanço das canoas na espera de sair para pescar. As canoas, antes da chegada do automóvel, eram utilizadas no transporte da cera de carnaúba para o porto de Camocim. Hoje são utilizadas basicamente na pesca artesanal, um patrimônio imaterial que precisa ser valorizado.

A memória coletiva dos canoeiros correm o risco de desaparecer por falta de políticas publicas voltadas para a valorização da atividade pesqueira, que ao longo da História da cidade de Granja tem contribuído para a economia local.

Comentários

Mais acessadas