Patrimônio Ameaçado: Cassimiro Côco





imagem/arquivo Lira Dutra

Lembro que quando criança, eu ficava de boca aberta e a imaginação a mil ao ouvir as peripécias do Cassimiro Côco, personagem do teatro de bonecos. Passou o tempo, tive oportunidade de coordenar um grupo de artista em projeto cultural chamado Talentos da Cultura, onde lá conheci Antonio Miquim, um dos últimos mestres da arte de botar boneco.


Outro dia, no inicio de junho, visitei o amigo Miquim lá no Favelão do Zanoi, um bom papo, lembranças em dias. Bonecos guardados. Casa de taipa. Esquecimento. Luta pela sobrevivência do artista e da arte.

É triste saber o quanto nossa cidade despreza os artistas, a cultura e idolatra os coronéis da corrupção, do nepotismo, da oligarquia velha e imunda, que ao longo dos anos tem infectado minha Granja como a peste bubônica assolou a Europa nos idos do séc. XIV.

Comentários

  1. QUANDO UM ARTISTA ESTÁ ABANDONADO,CARENTE MATERIALMENTE, É PROVA DE QUE OS POLÍTICOS NÃO ESTÃO CUMPRINDO SUAS OBRIGAÇÕES.

    ResponderExcluir
  2. QUANDO uma sociedade está organizada de tal modo que só promove o bem de uma parte de seus integrantes, é sinal de que ela está mal organizada e afastada dos objetivos que justificam sua existência.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá!
Agradeço pelo comentário.
Sua participações é importante para nosso trabalho Granja Ceará.
Obrigado!

*Comentários anônimos poderão ser recusados/excluídos. Por isso use sempre nome e e-mail válido para comentar.

Não faça comentários de cunho preconceituoso, respeite os Direitos Humanos.

Mais acessadas