6 de jul de 2010

Granja: Uma preciosidade que não pode ser esquecida

Toda cidade guarda grandes preciosidades, mas poucas pessoas valorizam esses tesouros. Na zona norte do estado do Ceará, são inúmeros lugares que guardam riquezas históricas e naturais.

O município de Granja segue a regra, a magia do rio Coreaú se mistura ao encanto da histórica ponte metálica, formando uma sintonia perfeita. Ao fim da tarde é deslumbrante: o apreciar das águas, a beleza da mata, e o brilho do sol.

E quem pensa que é só isso, engana-se, Granja tem história e muita história. Basta andar pelas ruas da cidade que podemos nos deparar com casarões que guardam grande riqueza arquitetônica e nos revelam o passado colonial. A listagem de prédios e casarões é numerosa, alguns merecem destaque, entre eles: O solar da Família Gouveia e antiga cadeia pública.

Agora, sem dúvida alguma, a história de Granja está marcada mesmo nas praças e nos eventos. Isso porque as praças fazem parte do cotidiano de várias gerações, e os eventos são guardados na memória de quem participa.Não dar pra se falar no município, sem falar da praça Coronel Luiz Felipe, ou melhor "Praça do Colégio" como é conhecida popularmente o ponto dos jovens granjenses. Também não dar pra se pensar em avenida beira rio, sem pensar num dos melhores carnavais da zona norte e na micareta Granfolia.

Realmente não dar pra negar, a terra de Livio Barreto é mesmo um tesouro, são muitas preciosidades que fica difícil resistir. O único lamento é que poucos são os olhares que desvendam essas belezas e procuram cuidar delas como de fato merecem. Afinal a história de um povo não pode e não deve ser apagada, pois o que é importante deve ser lembrado e jamais esquecido.

Por: Francisco Sousa
publicado no blogue http://frankblog14.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!
Agradeço pelo comentário.
Sua participações é importante para nosso trabalho Granja Ceará.
Obrigado!

*Comentários anônimos poderão ser recusados/excluídos. Por isso use sempre nome e e-mail válido para comentar.

Não faça comentários de cunho preconceituoso, respeite os Direitos Humanos.