Em defesa da vida

imagem ilustrativa/google
Alguns políticos vêm lutando para legalizar o aborto no Brasil, e, com objetivos escusos, se movimentam para ser aprovado no Congresso a alteração do artigo 128 do Código Penal que tipifica o aborto como crime contra a vida. Por trás deste plano, está a poderosa e lucrativa indústria do aborto com todos os “carcarás” que se agasalham nesta prática criminosa e ainda se beneficiam da falta de ética dos “lobistas” anticristãos e confiando no Programa Nacional de Direitos Humanos do PT (PNDH-3) o qual defende que a mulher tem o direito de interromper a gravidez, isto é, favorável ao aborto, e mantém como certa a legalização desta matança perversa para poderem sugar vultosos recursos da Nação e enriquecerem ilicitamente e com dinheiro maldito.

Anualmente, os inocentes mortos por este massacre diabólico, atingem os 40 milhões no mundo. Esta ação criminosa do aborto provocado trata-se de uma barbárie, um assassinato de brutal perversidade que esquarteja um ser humano inocente e indefeso, no útero materno, com instrumentos cirúrgicos do tipo agulhas de crochê e retirado aos pedaços com pinça, crime gravíssimo contra a lei divina. Só os materialistas hereges que não temem a Deus, concordam com tamanha crueldade. Existem ONGs que recebem repasses milionários de diversos países, gozando de isenção fiscal e assim financiam passeatas para aprovarem, a todo custo, o casamento de homossexuais, a legalização do aborto e outras aberrações anticristãs em nome dos direitos humanos. Que humanismo é esse? Deve haver fiscalização porque esses recursos podem até financiar guerrilhas, narcotráfico e outras atividades criminosas.

Em vez de emendar-se dos seus crimes contra a vida, o capitalismo selvagem vem propor o controle da natalidade, como uma falsa proposição de defender uma nova ordem econômica mentirosa, dizendo-se preocupado com a falta de alimentos. Ora, se falta alimentos, por que então nos EUA e na Europa Ocidental os fazendeiros têm sido pagos pelo governo para não produzirem? Sabendo-se que a densidade demográfica no Japão é de 300 pessoas/km2 e não há fome e nem analfabetismo, por que então se preocupar se a nossa é de apenas 22,1 pessoas/km2? Agora, o nosso índice de natalidade (1,8) já se encontra abaixo do mínimo necessário recomendado que é de 2,1 filhos/mulher, para que a população se mantenha estável e isto sim, é preocupante. Ver-se com tristeza uma medida perigosa, esta dos políticos incentivarem a pílula anticoncepcional, a pílula do dia seguinte e agora a legalização do aborto. A prevalecer esta loucura, daqui a pouco tempo teremos graves problemas com uma população decadente e envelhecida, sem braços jovens para o trabalho e para manter a Previdência Social e dar seqüência à vida da Nação. Estudiosos em demografia observam que a nossa taxa de crescimento vem diminuindo, até que a partir de 2030 a população do Brasil começará a decrescer.

Também, o relativismo ateu, no afã de atacar a Igreja de Cristo, está nos impondo a onda do estado laico, procurando dificultar a evangelização para poder facilitar as ideologias materialistas, o indigenismo latino americano e o esoterismo, para que os povos primitivos possam resgatar a sua cultura. Acham bonito o costume dos sodomitas? A cultura dos índios antropófagos? A barbárie dos hunos, dos visigodos, dos francos e de outros povos bárbaros? Graças a Deus a Igreja Católica, enfrentando perigos, conseguiu catequizá-los e convertê-los ao cristianismo.

Top 5

OPORTUNIDADES: Saiu edital para seleção temporária da prefeitura de Granja/CE

Prefeitura de Granja lança edital para contratação de temporários 2017

Entidades de direitos humanos se manifestam sobre crise no Ceará

LITERATURA: Será lançado nesta quarta-feira o Livro Padre Osvaldo - Coletânea de Sermões