Sistema de Alerta Precoce de Secas e Desertificação


imagem/Lira Dutra
O Ministério do Meio Ambiente, em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), pretende colocar em operação, a partir de 2011, o Sistema de Alerta Precoce de Secas e Desertificação (SAP). “O objetivo é gerar um sistema capaz de prever períodos de seca no semiárido brasileiro e desenhar cenários atuais de vulnerabilidade resultantes do uso da terra – com ênfase nas questões de desertificação, e cenários futuros em decorrência das mudanças climáticas”, explica Margareth Carvalho, gerente do Departamento de Recursos Ambientais da Funceme.

Previsões pouco otimistas indicam que os fenômenos da seca e desertificação devem avançar, no mundo inteiro, devido à elevação de 2°C na temperatura do planeta, estimada pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC). No Brasil, a Caatinga e o Cerrado, áreas mais suscetíveis aos fenômenos dessa natureza, serão os biomas mais atingidos. O agravamento da situação pode afetar até 20 milhões de pessoas.

Nossa sociedade não está convivendo harmoniosamente com o ambiente natural, pois profundos sinais de degradação ambiental chegam a causar desertificação em grandes áreas do planeta. Segundo a ONU, mais de 2,1 bilhões de pessoas vivem em regiões semiáridas no mundo. O problema afeta 40% de toda a superfície do planeta.

Comentários

Mais acessadas