Versos & Prosas: prof. Jander Beviláqua

por: Raimundo Pompe
Ao Prof. Jander Beviláqua Dias (in memoriam)


Ele foi a lente que olhava com visão ética
Cuja lições nos inspirava sólida cultura,
Numa pedagogia de grande estética,
Sem uso de opressão, ou de urdidura.


Entre nós revelava-se ser capaz
De desvelar o que mais a alma implora:
Lições de amor, quietude, fé e paz,
- Valores que a humanidade ignora!


No velho Colégio São José, sua amada Casa,
Éras, pois, modelo de fina docência!
Seus ensinamentos ainda nos abrasa,
Por razão de justiça e competência!


Viveu, lutou... foi breve a despedida;
Aos pés do Criador caíu, entanto;
Morte serena como morre um santo,
Após ter da sua missão cumprida.


Sua presença era delicada, vasta
Por tudo tornar claro e impoluto...
Sua ausência, hoje, a Saudade escuto
O pranto que a muitos prende e arrasta...


Acolhendo a suprema voz de paz,
Qual um anjo de luz ele foi embora,
Rumo a celeste pátria que nos faz
Sonhar real amor de eterna aurora.


Ficou o nosso olhar esmaecente,
Deixou-nos, o amado Mestre, na orfandade:
Minh`alma muito chora e muito sente!
Restando a mim este poema em forma de saudade!

Comentários

  1. Prezado Raimundo Pompe, meus cumprimentos pelo poema. Como um ex-aluno do Prof. Jander, ratifico todos os sentimentos expressos em seu poema. Um abraço, Saldanha Neto (e-mail:saldneto@terra.com.br), em Brasilia-DF

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá!
Agradeço pelo comentário.
Sua participações é importante para nosso trabalho Granja Ceará.
Obrigado!

*Comentários anônimos poderão ser recusados/excluídos. Por isso use sempre nome e e-mail válido para comentar.

Não faça comentários de cunho preconceituoso, respeite os Direitos Humanos.

Mais acessadas