Postagens

Morreu o granjense José Porfírio de Carvalho, um herói brasileiro

Imagem
Faleceu, aos 70 anos, José Porfírio de Carvalho. José Porfírio Fontenele de Carvalho, nasceu em Granja-CE (1946), é considerado um dos maiores indigenistas do país. Ele ingressou nos quadros da Fundação Nacional do Índio (Funai) logo após a criação do órgão, em 1967, o que o levou a quase meio século de intensa atividade, firmando-o como um dos principais nomes da história do indigenismo no país. O antropólogo e ex-presidente da Funai Mércio Gomes escreveu que Carvalho "foi, sem desmerecer outras grandes figuras, o maior indigenista rondoniano de sua geração".
Conheça mais sobre José Porfírio Fontenele de Carvalho através desse belo depoimento de Mércio Gomes, publicado em seu perfil em rede social (https://www.facebook.com/merciogomes/posts/10212336224191932):
"Carvalho, um herói brasileiro Quem acha que o Brasil é um pobre e desgraçado país de gente sem fé, sem fibra moral e sem destemor é porque não conheceu um dos mais ilustres representantes deste país, José Porfírio …

Granja sacrifica pobres para pagar "surpersalário"

Imagem
Granja está entre as primeiras cidades cearenses no Mapa de Extremo Pobreza, as comunidades vivem abandonadas, ainda temos centenas de casas de taipas em condições desumanas. Triste! Uma realidade que a publicidade da administração tenta esconder a todo custo.
Para piorar o drama, os granjenses acordaram com a notícia de que a prefeita ganha mais que o Governador do Estado e seu tio ganha 15 mil por mês como procurador do município, segundo reportagem do blog Camocim Online. Agora fica a pergunta: como Granja sacrifica pobres para pagar "surpersalário"?
Veja matéria abaixo ou acesse http://www.camocimonline.com/2017/05/procurador-de-granja-tem-um-dos-mais.html




Em Granja moradores fazem campanha para levantar casa destruída durante alagamentos

Imagem
Olá, querida(as) leitores(as)!

Tenho um convite especial para você. Sei que você irá aceitar!

Estamos realizando uma campanha solidária para construir a casa da dona Margarida, moradora do Vila da Cachoeira, bairro São Pedro, Granja-CE.

A casa da família de D. Margarida foi destruída durante os alagamentos ocorridos na cidade no início do mês de abril (veja reportagem aqui). Sem condições financeiras para construir uma casa nova a família não tem onde morar. Na época do alagamento a Defesa Civil esteve no local, mas, segundo informações da dona de casa e dos vizinhos, até o momento nada foi feito. Comovidos com a situação e cansados de esperar os moradores decidiram fazer uma campanha para arrecadar material de construção. Os moradores estão dispostos a ajudar com mutirões, porém falta o material.
Eu estou participando dessa campanha e peço sua DOAÇÃO!

Através do facebook, uma ex-aluna e vizinha da D. Margarida mim chamou para ver a situação da família e começar uma campanha nos blogs…

Patrimônio AMEAÇADO: cabe a nós salvar o pouco que nos resta

Imagem
Não é de hoje que tenho denunciado o descaso com o Patrimônio Histórico Cultural granjense. Em 2010, escrevi o artigo Granja: Patrimônio Ameaçado, que publiquei no site Overmundo (aqui).

Agora, em 2017, tristemente, vejo que a riqueza, a beleza e o valor histórico dos nossos casarões não é prioridade na agenda das autoridades granjenses. Entra prefeito, sai prefeito e o descaso continua. Cabe ao povo salvar o pouco que nos resta.


Foto da semana: marcas do vandalismo

Imagem
Ontem, registrei essa cena de vandalismo na praça da matriz durante uma aula de campo.Há pessoas que desconhecem os custos que se paga por cada obra pública. Infelizmente cenas como essa estão presentes por varios pontos da cidade.

Ao som da sanfona, artistas prestam última homenagem ao mestre da cultura João Mocó

Imagem
Foi sepultado, na tarde do dia 18.04.2017, o corpo do mestre da cultura João Evangelista dos Santos (1931-2017), o João Mocó.
Durante o sepultamento, os artistas José Arimateia, Izaú, Dodó e Vicente Moraes, tocaram e cantaram as tradicionais músicas do boi e do bode como última homenagem ao mestre. 
Veja vídeo

João Mocó dedicou toda a sua vida à  tradicional dança do bumba meu boi. Aos 14 anos, em 1945 fez a sua primeira apresentação. Conheci seu Seu João na brincadeira do boi, no ano de 2006, a partir daí ele mim apresentou a dança do bode e do camaleão. No ano de 2006, foi contemplado com o título de Mestre da Cultura Popular Tradicional do Estado do Ceará, pela Secretaria da Cultura do Estado, em reconhecimento da sua dedicação e dos relevantes serviços prestados à cultura popular, especialmente à brincadeira do Bumba-Meu-Boi. No ano de 2016 recebeu da UECE a outorga do título de Notório Saber, numa dimensão simbólica, cultural, política e prática.