quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Granja entrou no mapa do trabalho escravo no Ceará

Granja aparece em segundo lugar na lista dos municípios cearenses com trabalho escravo. A noticia parece chocar os visitantes ou até mesmo os granjenses desatentos à realidade do município, mas não é novidade para trabalhadores do carnaubal e, acredita-se, tão pouco para as oligarquias políticas e latifundiárias.

Leia abaixo trecho da reportagem do jornal O Povo sobre o assunto:
"Mais de 560 trabalhadores foram resgatados de situações análogas à escravidão no Ceará desde 2003. Os números deixam o Estado na 18ª posição no "ranking" do trabalho escravo entre estados brasileiros. Foram 63 operações antiescravidão no Estado desde 2003, de acordo com dados do Observatório Digital do Trabalho Escravo no Brasil.  
A poucas horas de viagem do cartão postal da praia de Jericoacoara, o município de Granja é outro que aparece em posição destacada na lista do trabalho escravo no Ceará. Os números são puxados por operação deflagrada pelo Ministério do Trabalho em dezembro de 2013, que resgatou 96 operários em fazendas de pó de carnaúba do Município. Segundo a pasta, trabalhadores não tinham acesso a água potável e trabalhavam sem "condições mínimas" de higiene, sem instalações elétricas ou sanitárias. Eles relataram que bebiam água sem filtragem, em copos coletivos, e que o almoço e o jantar - compostos de apenas arroz e feijão - eram preparados em fornos improvisados de latas de querosene." Leia mais: https://www.opovo.com.br/noticias/brasil/2018/12/paracuru-e-granja-lideram-u201cranking-u201d-do-trabalho-escravo-no-c.html
AcesseObservatório Digital do Trabalho Escravo no Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!
Agradeço pelo comentário.
Sua participações é importante para nosso trabalho Granja Ceará.
Obrigado!

*Comentários anônimos poderão ser recusados/excluídos. Por isso use sempre nome e e-mail válido para comentar.

Não faça comentários de cunho preconceituoso, respeite os Direitos Humanos.